FALE COM ELA

O recente filme de Almodóvar , “Fale com Ela”, é uma das homenagens mais radicais que a arte contemporânea já fez à delicadeza. Quando soube do roteiro e li os primeiros comentários da crítica, imaginei que um filme construído em torno dos destinos de duas mulheres em coma haveria de ser muito triste. Filmes tristes...

O DIABO NA CIDADE DE DEUS

Nelson Rodrigues costumava afirmar que, para se saber se determinado filme era, de fato, bom, havia um teste infalível: bastava perguntar ao ladrão. Explico: o genial dramaturgo havia imaginado uma situação limite onde um ladrão, perseguido pela polícia, entrava, ofegante, em um cinema para esconder-se. Se esse fugitivo gostasse do filme, dizia Nelson, poderíamos ter...

O COSMÉTICO E O SENTIDO

Há algo de superficial no valor que se atribui à juventude. Podemos percebê-lo na forma pela qual determinados atributos estéticos são transformados em indicadores de excelência e, não raro, em equivalentes universais da felicidade. De uns tempos prá cá, especialmente, uma grande indústria de embelezamento passou a produzir um novo mercado para aqueles que desejam,...

VARIAÇÕES SOBRE BACH

Nicht Bach – Meer sollte er heissen Beethoven Lembro-me do perfil grave e quase mágico de meu avô materno, Léo Schneider, deslizando suas mãos de vento por sobre os teclados do órgão de tubos de uma Igreja em Porto Alegre. Lembro-me de seus pés inexplicáveis pressionando os pedais exatos e do impacto – algo assim...

TRAFFIC

Quem ainda não teve a oportunidade de assistir deve dar um jeito e procurar logo uma sala de exibição do filme Traffic. Mais do que o melhor filme já produzido sobre o tema das drogas, Traffic é uma lição e tanto sobre o erro básico de uma política pública de combate ao uso de drogas...

CACHORRAS

Já se observou que uma visão panorâmica sobre a produção artística de nossa época haverá de constatar um processo curioso pelo qual o lixo cultural adquire a condição de “produto” em um mercado crescente. Tal característica é parte de uma crise mais ampla que me parece particularmente notável nas artes plásticas e na música. Quanto...

A MONTANHA MÁGICA

Thomas Mann foi, sem dúvida, um dos maiores romancistas do século XX. Apreciador de sua obra, adiei por muitos anos a leitura de um dos seus livros mais célebres, “A Montanha Mágica”. (Nova Fronteira, 801 páginas). Semana passada, devorei-o. Toda a história se passa nas montanhas geladas de Davos, Suíça, em um sanatório para pacientes...

NOTÍCIAS DE UMA GUERRA PARTICULAR

João Moreira Salles é o autor do documentário intitulado “Notícias de uma Guerra Particular”. A obra apresenta um retrato impactante de uma realidade que poucos conhecem: a guerra travada, no Rio de Janeiro, entre policiais e traficantes. Nesta quinta-feira, dia 23, às 15 horas, atendendo a convite nosso, João Salles estará na Casa de Cultura...

HITCHENS

Autobiografias transitam quase sempre entre a presunção e o desespero. São, por isso mesmo, um tipo de construção ambígua onde memória e defesa pessoal se confundem. O resultado é, muitas vezes, tão somente uma chatice. Pois bem, a autobiografia de Christopher Hitchens (“Hitch-22”, Nova Fronteira, 592 pp), um dos mais proeminentes intelectuais de nosso tempo,...

A PAIXÃO SEGUNDO ALMODÓVAR

Não sou crítico de arte, nem tenho a pretensão de dominar os paradigmas estéticos que permitem a alguns especialistas apreciar o que não me agrada ou a criticar o que gosto. Ocorre que, diante de certas produções culturais – notadamente certos livros, filmes ou discos – sinto-me como que na obrigação de recomendá-las. Talvez exista,...